Baptismos

BAPTISMOS

Baptismo é um Sacramento: sinal visível de uma realidade invisível mas real. No baptismo, a água e as palavras do celebrante são sinal do amor de Deus e da salvação a que ele nos chama.

O Baptismo é o primeiro sacramento. Pelo Baptismo tornamo-nos membros da Igreja e passamos a fazer parte da comunidade eclesial dos seguidores de Cristo.

O Baptismo faz-nos filhos de Deus. Pelo baptismo nascemos para uma vida nova e vivemos a alegria de ter Deus como pai.

O Baptismo une-nos a Jesus Cristo. Com Ele passamos da morte do pecado à vida sem fim.

O Baptismo dá-nos o Espírito Santo. O Espírito Santo é a luz que nos ilumina, a graça que nos renova, a força que nos impele a viver o Evangelho e a amar todas as pessoas.

 

Os Pais

Os pais que pedem o Baptismo para os filhos manifestam o desejo de os ver a entrar na Igreja, a felicidade dos filhos de Deus.

A missão dos pais tem a importância que lhes é devida como os primeiros educadores da fé de seus filhos desde a tenra idade.

 

Os pais da criança exercem funções verdadeiramente próprias na celebração do baptismo:

  • quando, publicamente, pedem que o filho seja baptizado;
  • quando, depois do celebrante, assinalam com o sinal da cruz na fronte do filho;
  • quando declaram renunciar a Satanás e fazem a profissão de fé;
  • quando levam o filho à fonte baptismal;
  • quando seguram a vela acesa;
  • quando recebem a bênção especialmente destinada às mães e aos pais.

 

Padrinhos

A instituição dos padrinhos surgiu na igreja ao impor-se o costume de baptizar as crianças. Era necessário que alguém, distinto dos pais, e que representasse tanto a família daquele que ia ser baptizado como a comunidade cristã, se responsabilizasse pelo crescimento na fé da criança baptizada.

Os pais têm de tomar a sério a escolha dos padrinhos para os seus filhos, para que os padrinhos não se convertam numa mera instituição social de puro legalismo e formalismo.

Para essa escolha, não devem deixar-se guiar unicamente por razões de parentesco, amizade ou prestígio social, mas sim por um desejo sincero de assegurar aos seus filhos uns padrinhos capazes de comunicar eficazmente uma educação cristã.

Cada criança tenha um só padrinho ou uma só madrinha, ou então um padrinho e uma madrinha.

 

Condições para ser padrinho

É conveniente que o padrinho, a escolher pela família, reúna algumas condições:

Tenha maturidade suficiente para desempenhar esta função, o que se presume se já completou os 16 anos de idade.

Seja católico e tenha recebido os sacramentos do Baptismo, da Eucaristia e, se possível o da Confirmação e leve uma vida digna de acordo com a fé e a função que vai desempenhar.

Não seja pai ou mãe do baptizado.

Não esteja impedido, pelo direito, de exercer esta função.

 

Função do Padrinhos

Colaboram com os pais para ajudar a criança a preparar-se para, a seu tempo, ela própria professar também a fé e exprimi-la na vida.

banner terco digital mtpeq

cronologia 250x42